PROJETOS ATUAIS

 
 

Basta de Estigma e Discriminação: a Prevenção Combinada com os Jovens

De acordo com a carta escrita pela Rede Nacional de Adolescente e Jovens Vivendo com HIV/Aids e direcionada ao Ministério da Saúde, “mesmo com tal avanço tecnológico ainda temos uma média de 11,5 mil mortes anuais por aids, sendo 60% de pessoas negras. Há um problema social a ser resolvido pela saúde pública em conjunto com outras áreas.” No Brasil, os casos de HIV/Aids entre jovens aumentaram em 700% entre 2007 e 2017, apesar das diversas pesquisas e diferentes modalidades de prevenção disponíveis. Tal contradição se deve ao fato de que nem sempre os direitos sexuais e reprodutivos dos jovens são reconhecidos ou abordados adequadamente. Por um lado, isso se reflete na carência de serviços eficazes, amigáveis e equitativos para ao público jovem; e por outro, na dificuldade em criar estratégias de comunicação que dialoguem de maneira efetiva com os jovens sobre saúde sexual e prevenção.

 

Desta maneira, através do projeto “Basta de Estigma e Discriminação: a Prevenção Combinada com os Jovens”, a ECOS vem se dedicando a identificar estratégias inovadoras de comunicação em prevenção combinada para jovens e adolescentes, a fim de aprimorar a capacidade de democratizar tais informações com este público e reduzir as taxas de infecção que vem aumentando sobretudo entre jovens gays, HSH, travestis e transexuais, levando sempre em conta as especificidades de ser profissional do sexo, usuário(a) de álcool e outras drogas, viver e conviver com HIV/Aids, bem como as intersecções de raça e etnia.

 

Dito isto, estamos organizando no ano de 2019 três encontros regionais (centro-oeste, nordeste e norte) na temática de Comunicação em Prevenção Combinada. Estes encontros preveem um momento de formação dialogada proposto por expositores especialistas e debatido com jovens sobre as atuais questões sobre juventude e prevenção combinada; e, um segundo momento de oficinas de comunicação para uma construção coletiva a partir de linguagens juvenis e tecnologias sociais mais atuais. Assim, conseguimos unir conhecimento técnico especializado no tema, e um diálogo/curadoria de conteúdo de comunicação com jovens, através de metodologias participativas e reflexivas para o enfrentamento das IST/HIV/Aids e hepatites virais, bem como do estigma e da discriminação contra o público jovem LGBTQIA+.

 

Neste sentido, este projeto prevê produtos finais de comunicação tanto institucionais, para capacitar e qualificar profissionais e organizações que atuem com jovens, contendo dicas, informações, recomendações e soluções criativas em prevenção combinada; quanto um material audiovisual com metodologias inovadoras para o desenvolvimento das estratégias de Prevenção Combinada.


 

 

Entre Pares

O projeto “Entre Pares” foi idealizado e executado com o objetivo de colaborar com a educação e saúde sexual de jovens através de metodologias participativas que dialoguem sobre seus direitos sexuais e reprodutivos. Foi realizado em 10 capitais brasileiras, e organizado em dois momentos: um diagnóstico e, posteriormente, uma atuação em campo. Através desta metodologia, a ECOS conseguiu levantar os materiais e conteúdo que jovens, com idade entre 13 a 24 anos, buscam para aprender sobre sexo, corpo, gravidez e IST/HIV/Aids. Também identificamos as principais dúvidas e preocupações dos jovens sobre temas relacionados à saúde sexual e reprodutiva e, através de jogos lúdicos, educativos e de rodas de conversas, foi apontada a importância do protagonismo dos adolescentes no desenvolvimento de materiais e estratégias de intervenção sobre Direitos Sexuais e Reprodutivos (DSDR), baseado em uma linguagem bem humorada, uma estética apropriada, em acordo com a faixa etária dos adolescentes e jovens.

 

Como resultado deste projeto, os produtos criados foram:

 

1. Jogo (para jovens e adolescentes): desenvolvido como um jogo de tabuleiro projetado para abordar questões nos temas gênero, sexualidade, diversidade sexual, direito sexual e reprodutivo, ao mesmo tempo que diverte e promove a interação, competitividade e cooperação dos jogadores. Este jogo pode ser utilizado por até 3 a 6 jogadores, com faixa etária a partir de 12 anos.

 

2. Cards sobre Direitos Sexuais e Reprodutivos (para jovens e adolescentes): estes cards foram produtos do diagnóstico inicial feito com os jovens e adolescentes e elaborados partir das dúvidas no jogo de perguntas e respostas. Tem o intuito de esclarecer e informar sobre assuntos ligados a vida sexual e reprodutiva dos jovens, e foi elaborado com ilustrações e conteúdos acessíveis a este público. Podem ser utilizados nas atividades educativas entre pares realizadas por adolescentes e jovens em escolas, nos serviços de saúde, nas comunidades, nas organizações e nos grupos e coletivos juvenis.

 

3. Guia de utilização dos Cards (para profissionais e educadores): com o intuito de dinamizar a utilização da série de Cards Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos de adolescentes e jovens, o guia oferece um cardápio de oficinas que possam apoiar o debate e a reflexão sobre 5 temas: Corpo e Sexualidade; Gravidez na Adolescência; IST/HIV e Aids; Direitos dos adolescentes; e Violência.

 

Estes produtos (Jogo, Cards e Guia) estão em versão off-line para tiragem impressa, e conta com um protótipo de versão de jogo online.

 

Projeto de Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos com Jovens de Roraima